Bananal, SP e região

Vocês não devem saber, mas eu fiz um curso de Guia de Turismo no Colégio Estadual Antônio Prado Júnior na Tijuca, Rio de Janeiro.  Para concluir esse módulo do curso eram necessárias três viagens:  Citytour, a viagem Intermunicipal e a Interestadual.   A promessa do curso era nos levar para Petrópolis e as cidades históricas de Minas Gerais, mas devido a verba escassa, nossas viagens foram para Niterói, RJ e Bananal em São Paulo. 

Admito que eu não tinha muitas expectativas para essa viagem, mas fui surpreendida e devo enfatizar:  Foi uma das melhores viagens que já fiz.

Não apenas por ter sido quase completamente gratuita. 

Antes de continuar a contar sobre Bananal e região, é preciso informá-los:  Pelo curso pertencer ao Estado do Rio de Janeiro, os alunos não podem pagar para concluir as viagens.  Ou seja: O ônibus, o hotel e parte da alimentação são obrigação do Estado.

Partimos cedo do ponto de encontro; As 7h da manhã estavam todos dentro do ônibus e os trabalhos técnicos já haviam começado há meia hora antes. Haviam pessoas responsabilizadas pela lista de paxs, pelo embarque, etc.  No percurso até a nossa primeira parada haviam outras pessoas afim de nos dar informações sobre estradas, histórias e curiosidades das determinadas regiões.  Importante lembrá-los que está foi uma viagem técnica e decisiva para nosso término de curso.

Paramos na Fazenda Resgatinho para aprender um pouco mais sobre a produção da Cachaça. O alambique, apesar de pequeno, comportava as máquinas para fermentação, destilação e o espaço para o envelhecimento.  Produzem, além da cachaça, rapadura, fubá, açúcar mascavo e doces.

14705751_1173876502676216_843701769324486577_n

Seguimos então para nossa base na cidade.  Admito que há essa hora eu estava faminta! Ficamos hospedados no Hotel Fazenda Boa Vista, e meu Deus! Que hotel incrível!  Inclusive este foi cenário para novelas de época da Globo.  Nosso almoço estava pago assim como a diária. Graças a Deus!  Um banquete foi servido para o nosso almoço no próprio Boa Vista.  Acredito que eu devo ter achado tão incrível assim porque estava cercada de bons amigos, porque infelizmente fica distante do centro da cidade.  Era impossível fazer um by night em algum lugar que não fosse o próprio Hotel.

10Lordes and his ladies.”  Sala de estar do Hotel Fazenda Boa Vista

Passamos nosso tempo livre utilizando a câmera profissional do nosso amigo Guilherme para registrar esses momentos.  Nossa noite foi bem divida entre gargalhadas na piscina e na mesa de ping pong e entre a exploração da casa.

Na manhã seguinte, antes de seguirmos para nosso próximo compromisso, Maycon e eu tivemos a oportunidade de ordenhar as vacas e amamentar os filhotes de cabras.  Foi uma experiência única.  Então seguimos para uma das atrações que mais amei em toda viagem: Fazenda dos Coqueiros.  Construída em 1855 ainda envolve segredos e mistérios. A dona da fazenda é uma guia natural! Saí de lá em prantos pelas histórias contadas, pelos objetos vistos e pelo ar místico.

 

11
Fazenda dos Coqueiros
2
Uma parte das turmas sendo orientadas pelo Professor e Guia responsável pela avaliação

Antes de irmos para a nossa última parada, em Areais em São Paulo também, fomos almoçar e esse foi o nosso único gasto nessa viagem. Combinado antes com os organizadores da viagem, nós sabíamos que o almoço do segundo dia não estava incluso. O valor foi informado antes também.   Por fim seguimos para Areais onde os alunos concluíram suas apresentações pelo pequeno citytour que fizemos.  

No próximo post comentarei o que pode ser feito na região da Serra da Bocaina  – região que faz o Turismo ser estável em Bananal. 

img_20161022_163711707
Amigos que o Turismo dar, nada tira

Fotos gentilmente cedidas por Guilherme S Cunha; um presente que o curso me deu.


Deixe uma resposta