Ferramentas para aprender idiomas (e minha trajetória com eles)

Cresci numa família monolingue e, até os últimos anos do ensino médio, eu estava acomodada nessa vida. Primeiro porque meu pai tinha deixado bem claro que não poderia arcar com as despesas de um curso (porque se pagasse para mim, teria que pagar para minha irmã), e eu estava bem com isso. Sempre fui a melhor filha que meus pais poderiam pedir a Deus, e isso incluía abdicar um sonho antigo: ser poliglota.

Com o término do ensino médio e minha entrada negada na faculdade pública, tive que ir trabalhar. Meu primeiro trabalho não foi uma boa experiência, mas mesmo assim aprendi muitas coisas e sou muito grata ao universo por essa oportunidade. Comecei a fazer um curso de inglês meia boca – e como não ganhava quase nada, meu pai pagou o material didático e o resto ficou por minha conta -, e para meu azar… O curso faliu. Paguei atoa e fiquei sem certificado.

Antes mesmo de entrar para faculdade de turismo (e notar que o inglês e espanhol são fundamentais, sem contar que uma quarta língua é um diferencial) eu tratei de usar todas as ferramentas que tinha disponíveis ao meu favor. E são elas que vou compartilhar com vocês hoje!

Vai dizer que você nunca morreu de vontade de falar com aquele estrangeiro que estava na sua cidade? Em Recife mesmo pude praticar espanhol com um senhora muito legal que estava fazendo mergulho pela primeira vez!

As ferramentas e dicas de como potencializar seus estudos:

1. A primeira e mais acessível ferramenta é o youtube! Sem sombras de dúvidas! Existem vários canais legais para o aprendizado de uma nova língua. Se você é iniciante em um idioma, comece com os canais de professores brasileiros (ou que falam uma língua que você entende bem). Conforme for ganhando confiança, vai avançando para professores nativos.

Exemplo: Eu sou uma eterna bebê em árabe, por isso estou sempre acompanhando o Prof. Jihad, a palestina Maha e o inglês Mike (os últimos dois ministram suas aulas em inglês, uma língua que compreendo bem).

Se você quer aprender inglês, por exemplo, pode começar com os canais do English in Brazil, Mr. Teacher Paulo ou a maravilhosa Tia do Inglês, e depois ir avançando para outros como o EngVid.

2. NETFLIX É VIDA!!!!!! É assim que estou praticando meu listening e meu reading em espanhol. Assisti La Casa de Papel todinha em espanhol, e foi maravilhoso! Coloquei a legenda em espanhol também (isso é muito importante!) para praticar duas coisas ao mesmo tempo.

Na verdade, eu só assisto filmes e séries em seu idioma nativo com legenda. E não é porque não entendo sem a legenda não, mas sim porque é uma forma instantânea e quase imperceptível de praticar a leitura também.

3. Cursos online (ou presenciais) e aplicativos.

Existem vários aplicativos online e gratuitos, como o duolingo, e eu particularmente não sou muito fã (apesar de ter usado vários!), mas eu sou completamente apaixonada pelos cursos! Sério, gente.

É possível achar cursos gratuitos de espanhol que dão certificado, como esse aqui e se você faz faculdade, pode fazer cursos de inglês pelo MEO e o Idiomas sem Fronteiras. Sem contar colégios técnicos como o FAETEC. Minha irmã e eu mesma estamos indo fazer francês pelo faetec e estamos super animadas, porque o verdadeiro aprendizado acontece FORA da escola.

4. Praticando com um nativo.

Já usei muito o Omegle (aquele site de pessoas loucas e pervertidas kkkk). Sim, gente. Tem muito pervertido no omegle, mas se você for direito e falar que quer apenas praticar, é possível encontrar pessoas INCRÍVEIS! Até hoje tenho amizade com um indiano que conheci por lá.

Mas meu queridinho é o Italki. Infelizmente não tenho usado muito, porque os valores são cobrados em dólares, mas vale super a pena. Você tem a opção de contratar um professor ou um tutor (que sai mais barato e a conversa rola de forma mais natural).

Seguindo a linha do Italki, temos Verbling que também é show de bola! Existe o Iboux, mas eu nunca usei porque acho um pouco salgado $.

Quando eu tô sem grana, eu costumo buscar parceiros em aplicativos (aqueles que não sou muito fã, mas que não vivo sem kkkkkkk) e convido para conversar pelo whatsapp ou pelo skype. Admito que as vezes não entendo nada por causa do sotaque ou da dicção, mas adivinha só, gente? ESTÁ TUDO BEM. Lembre-se que você está aprendendo, e se nem na sua língua materna você fala exatamente tudo certo… Por que deveria falar na dos outros?

O negócio é praticar para ficar chuchuzinha com os gringos.

Desculpa o post IMENSO, mas eu ainda tenho muito o que falar. Por isso, que venha o dia 28/03 com a parte 2.


Deixe uma resposta